Enciclopédia de Thordezilhas: O Calendário Alexandrino

Ahoy, patifes!

Muitas pessoas perguntam como funciona alguns aspectos de Thordezilhas, como passagem do tempo, datas comemorativas, divindades, entre outras minucias que foram apenas pinceladas nos dois livros lançados para o cenário “Thordezilhas Sabres & Caravelas” e “Thordezilhas Rum & Sangue”. Pensando nisso, decidimos criar esta série de artigos contendo informações interessantes sobre o glorioso universo da pirataria.

Calendário Triárquico .

O primeiro calendário de Alexandria foi o triárquico, criado ainda durante o período conhecido como os Três Impérios de Alexandria – Nitânia, Scalon e Dukaderon – fruto dos esforços da extinta Sociedade Filosófica de Stoicos em unificar aspectos civilizacionais, como idiomas, unidades monetárias, medidas de comprimento e o tempo, objetivando facilitar a comunicação entre humanos, feéricos e ébanos para, quiçá, cessar os confrontos que devastavam o continente naquele período.

A proposta teria surgido no reino humano de Nitânia, mas foram os feéricos de Scalon e os ébanos de Dukaderon que definiram os nomes da maioria dos meses.

A contagem do calendário inicia na edificação do lskarian marco do final da era dos deuses e início da civilização alexandrina – período atualmente conhecido como a Primeira Vinda.

O calendário Teodoriano.

Durante a Idade das Trevas, quando uma Alexandria devastada lutava para se erguer das cinzas, a já poderosa Santa Igreja organizou o concílio de Theodor para instituir um novo calendário baseado no Triárquico. O novo calendário, doravante chamado de Teodoriano, teria 12 meses e começaria com o nascimento de Dirceu de Versalhes, segundo avatar de Mitra.

Todo evento posterior ao nascimento de Dirceu de Versalhes passa a ser contado como Segunda Vinda. Eventos anteriores pertencem a Primeira  Vinda. A mudança foi adotada por humanos e feéricos. Os reinos alexandrinos de Dukaderon e Czarian continuam utilizando o Triárquico.

Os meses são:

Mês 1 – Solário

O ano começa com o Solário, cujo o nome faz referência ao Sol, um dos ícones do Grande Deus Mitra.

Mês 2 – Priáporo

O segundo mês do ano celebra Priapo, deus apócrifo da boemia.  O priáporo é conhecido pelo Carnaval alexandrino.

Mês 3 –          Eleguário

Este mês faz referência ao deus apócrifo Eleguá, aquele que abre os caminhos. O ano começava neste mês durante o calendário Triárquico.

Mês 4 – Branwndário

A primavera começa neste mês que homenageia a deusa Branwen. No dia 2 deste mês é celebrado o Dia dos Patifes feriado mais amado pelos piratas.

Mês 5- Maio ou Sophirio

O mês cinco é chamado de Maio na maioria dos calendários, fazendo referência a Maiah, a mais famosa imperatriz de Nitânia. Para Marselha e Dukaderon, o mês é conhecido como Sophiro uma referência à Sophia, deusa apócrifa da sabedoria.

Mês 6 –          Salacerio

O sexto mês é representado por Salácia, deusa dos Oceanos.

Mês 7- Shaabario

O sétimo mês presta homenagem ao senador Shaayhan, responsável pela conquista de Dukaderon que antes pertencia aos elfos.

Mês 08-         Dracário

O termo “Dracara” pode ser traduzido como “calamidade”, “colapso” ou “desespero” sendo uma referência ao dia em que os dragões despertaram para destruir os três impérios e arruinar Alexandria no final da Primeira Vinda. Sendo comum se dizer em Alexadria que Dracário é o mês do desgosto.

O dia 13 de Dracário é conhecido como “Dado Ruim”. Isso porque se trata do dia mais azarado do ano. Nenhum evento nele logra sucesso e TODA falha, por menor que seja, resulta em desgraça. Os alexandrinos costumam ficar em casa, neste dia evitando ao máximo promover qualquer esforço.

Mês 9-Baalário

O deus Baal – que se corrompeu em “Belzebu” – é homenageado no mês que inicia o outono do hemisfério norte.

Mês 10-         Dynario

O mês do Dynário presta uma homenagem a Dynan Bethel, musa fundadora do império feérico de Scalon.

Mês 11- Sethério

Este mês faz referência a Seth, o espirito santo, cultuado pelos povos do deserto.

Mês 12- Kalieiro ou Nivoso.

Para a maioria dos povos, o ano acaba no mês que presta uma homenagem a Kali, deusa da morte. Em Marselha e alguns povos feéricos o mês 12 é chamado de Nivoso, uma referência ao frio e neblina do inverno boreal.

O Alva, festival mais importante de Alexandria, é celebrado no dia 20 de Nivoso.

 

Por Luiz Claudio Gonçalves

Louco para a chegada do Nivoso.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: